28 de setembro de 2011

Programão! John Piper no RJ





John Piper, pastor da Bethlehem Baptist Church, em Minneapolis estará no Rio de Janeiro dia 9 de outubro, domingo, 9h - 12h participando de um evento no Rio Centro - Barra da Tijuca.


Visitem o site: http://johnpiper.com.br/


Para participar, basta realizar sua inscrição no site! As demais informações estão lá também!


Já fizemos nossas inscrições... Esperamos encontrá-los por lá.

14 de setembro de 2011

Expulsos do Quintal

Hoje passei por uma situação um tanto cômica, que me fez refletir. Ontem a noite, um filhote de gato invadiu minha casa, e pra loucura da minha mãe que não conseguiu dormir, miou a noite INTEIRA. Ao acordar de manhã, nossa missão era expulsá-lo do nosso quintal. Água, vassoura e barulhos estranhos fizeram parte do nosso repertório(para os protetores e animais, deixo aqui avisado que não bati no animal, nem encostei nele na verdade, apenas assustei).  Depois de um esforço finalmente ele se foi, e não mais voltou. Felicidade enfim. Não teríamos mais a preocupação de um gato em casa, além do mais atraindo outros gatos. Me arrumei para ir trabalhar, e ao sair, logo ouvi um miado familiar, e comecei a procurar pelo gato, e qual não foi minha surpresa ao olhar para o chão e ve-lo preso no bueiro. Voltei pra contar pra minha mãe, e logo o sentimento pelo gato foi substituido. De intruso, para coitado, em poucos minutos.
O que posso perceber com essa situação é como somos de muitas maneira hipócritas(desculpa mãe mas só encontrei essa palavra, mas to junto nessa com a senhora...acho que a maioria de nós estamos). O gato no nosso quintal era um incomodo. Não importava o que ele estava passando, ele tinha que sair de lá. O que aconteceria depois não importava. Ele poderia morrer, que contanto que não vissemos não iriamos nos importar. Expulsar um gato indefeso e assustado de nosso quintal é entregá-lo as incertezas do mundo, e praticamente a morte. Porém, ao vermos o mesmo gato sofrer morrer (se não vissemos estaria tudo bem) sai a hipocrisia, e falamos "Coitadinho", esquecendo que fomos nós que o expulsamos de nosso quintal.
Isso, obviamente é uma figuração. Uma pessoa não pode ser chamada de HIPÓCRITA, só por isso. Mas, infelizmente fazemos isso com aqueles que deveríamos amar. Expulsamos os mais necessitados, e indefesos do quintal de nossas vidas. "Não importa o que vai acontecer com eles, só não quero me preocupar com um mendigo em minha casa/igreja" dizemos (talvez, não esteriorizamos, mas está lá dentro). Contanto que não vejamos o que acontece de verdade com eles, pra que me preocupar, afinal o que os olhos não veêm o coração não sente. Mas quando vemos, essas pessoas morrerem nas ruas, dormindo com seus filhos em nossas rodoviárias e pontos de onibus, sentimos uma falsa piedade. Pensamos "tadinhos", mas arrumamos desculpas tolas, dizendo "o que poderiamos fazer?". Tentamos arrumar culpados: "A culpa é do governo", "a culpa é dos mais ricos" ou até "a culpa é do capitalismo", mas nos esquecemos que fomos nós que expulsamos essas pessoas de nossos quintais, e com medo e assustadas, elas acabaram caindo no bueiro.

Douglas Lopes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DESIGN BY:


Blog desenvolvido por Isabela Cacique.