29 de agosto de 2011

Atenção ao 'EU TE AMO'

Era dia 23 de dezembro, cheguei em casa do trabalho e minha mãe estava fazendo a janta.
- Oi mãe.
- Oi meu filho, como foi o trabalho?
Fui para o quarto e minutos depois ela me pergunta se eu queria jantar. Eu disse que sim. 
- Filho, você quer que eu faça um prato e leve para você no quarto? 
Eu respondo que sim.
Ela fez um prato de comida com carinho e me trouxe no quarto.  Comi - demorei até - pois falava com alguns amigos pelo computador e combinávamos de sair. Quando terminei de comer levei o prato na cozinha e voltei para o quarto. Eu ia buscar uns amigos para ver um filme em casa.
Peguei umas roupas sujas que estava no quarto para levar para o banheiro e dar uma arrumada no quarto, afinal, iria receber pessoas. Ao chegar no banheiro percebi que estava ocupado. Bati na porta.
- Mãe?
- Oi filho, estou ocupada.
- Vou dar uma saída. Posso deixar umas roupas aqui na porta pra senhora colocar no cesto?
- Pode sim.
Voltei ao quarto. Coloquei uma camiseta e peguei a chave da moto. Quando estava saindo senti vontade de me despedir da minha mãe mais uma vez. Fui ao banheiro e bati na porta.
- Mãe? Mãe?
Ela não respondia. Então ouvi um barulho meio agonizante e abri a porta. Minha mãe estava ali deitada naquele chão toda ensanguentada.
Na hora fiquei muito apavorado, sem reação. Não sabia o que fazer. Corri para a rua.
- Alguém chame uma ambulância, minha mãe está ferida. Socorro! Ajuda!
Voltei para perto dela. Ela ainda estava consciente. Dei um abraço bem forte. Eu a via coberta de sangue e tentava entender os motivos daquilo. O tempo passava e o socorro demorava a chegar.
Comecei a procurar algum ferimento para estancar o sangue e vi um pequeno corte, aproximadamente 1 cm, no lado esquerdo, entre o pescoço e o tórax. Não era um corte grande, mas foi o suficiente para acertar em cheio em sua veia Aorta.
Minha mãe começava a ficar pálida. Milhões de coisas se passando em minha mente. Eu a abracei bem forte.
- Mamãe, por que isso? Eu te amo.
- Também te amo, meu amor. Não quero morrer. – disse com a voz engasgada.
Percebi que ela não agüentaria muito até que a ambulância chegasse.
- Mãe, preste bastante atenção no que eu vou dizer. A senhora aceita a salvação de Cristo? Se arrepende dos seus pecados?
Ela tenta fixar o olhar em mim... e balança a cabeça positivamente, porque já não tinha forças para falar.
- Mamãe, a senhora aceita a Jesus como seu salvador eterno?
Mais uma vez o sim.
Fiquei ali com ela em meus braços por 23 minutos.
Ela me pediu um copo d’água. Bebeu um gole. Olhou bem nos meus olhos.
- Eu te amo, filhinho.
Foram suas últimas palavras. Ditas em meus braços.
Ela veio a óbito com um choque hemorrágico, que é quando a pessoa perde muito sangue.
O que me conforta é saber que minha mãe aceitou a Jesus dentro daqueles 23 dolorosos minutos que lhe restaram, e creio que nesse momento está na glória do Pai.
Hoje, sem minha mãe, vejo que eu era totalmente dependente dela. Por tudo que passei, nunca pensei em abandonar a igreja ou rejeitar a Deus. Sei que existem pessoas com problemas bem piores que os meus.

Deixo a mensagem aos jovens. Vocês, que tem seus pais, amem e os respeitem. Nunca deixem de dizer ‘eu te amo’, pois essas palavras fazem a diferença.

Que DEUS os abençoe!

Testemunho de Rodrigo Pacheco - Bauru - SP

Você é amado!


Sem palavras pra esse vídeo... Assistam!
Jullie Nogueira

24 de agosto de 2011

A Resposta


Amigoooooooooooooooooooooooooooooooossssssssssssssssssssssssssssss
Saudades de vocêssssss =D

Depois de algum tempo ausente, volto a este humilde lugar compartilhar um pouco do que tenho aprendido. Tenho passado por um tempo, onde tenho muitas perguntas pra Deus, e como todo bom perguntador, também quero as respostas. 

Mas será que estou preparado, e tenho buscado essas respostas?



Na maioria das vezes, somos como papagaios, que sempre falam as mesmas coisas, sem saber o que elas significam ou implicam, apenas repetimos. Mas temos o exemplo de um profeta na bíblia, que nos ensina muito sobre respostas. No livro de Habacuque, no primeiro capítulo, observamos todo o questionamento de Habacuque a Deus, e quando termina o seu questionamento, lá para o primeiro versículo do segundo capítulo ele fala:  

"Sobre minha guarda estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei, e vigiarei, para ver o que fala comigo e o que eu responderei, quando eu for arguido" 


Ou seja, ficarei alerta, e constante ATÉ Deus me responder. Ulllllll......esse "até" é complicado, porque temos o costume do "PARA".  "Vou orar, PARA Deus me responder. Vou Jejuar PARA Deus me responder" , quando na verdade, como bons guardas vigilantes para ouvirmos aquilo que Deus tem para nos falar, devemos orar e jejuar até Deus responder, sempre constantes, para podermos ouvir quando ele falar conosco.


É isso que eu tinha pra compartilhar galerinha boa

Deus Abençõe ;)
Douglas Lopes

17 de agosto de 2011

Que letra...


Corpo de Cristo
Mãos do Redentor
Corpo de Cristo
Onde estão
As marcas dos cravos?
Onde estão
Os pés que pisaram esse chão?
Deixando a glória

Corpo de Cristo
Olhos de perdão
Corpo de Cristo
Onde estão
Os braços estendidos?
Onde estão
Os corações movidos por compaixão?
Assim como Ele foi

(REFRÃO)
Eu quero ver a tua fé em obras
Me mostre, por favor
Onde estão os frutos e eu os comerei
Quero ver o teu amor tão cantado
Teu discurso encantador sendo encarnado
Cristo em vós

Música: Corpo de Cristo
Intérprete: Diante do Trono
Composição: Ana Paula Valadão Bessa

Onde estão as obras dos que se dizem discípulos de Jesus? Daqueles que buscam seguir a Palavra, e que afirmam amar ao próximo como a eles próprios?

Onde está o amor a Deus acima deste mundo perverso?

Na graça de Deus, 
Jullie Nogueira

14 de agosto de 2011

Onde está o amor?

Esses dias enquanto caminhava para minha igreja(uma longa caminhada de meia hora rs) vi um mendigo, sentado a porta de uma outra igreja. É até um mendigo muito conhecido da área, tem problemas mentais e tudo mais. E enquanto os irmãos chegavam para o culto de domingo ele estava ali. Não acompanhei o que a igreja fez...Não sei se o acolheram ou se o expulsaram dali, ou se ele simplesmente saiu. Mas naquele momento, que eu passava ali, parecia que ele simplesmente não existia. O amor de muitos não se esfriou, porque ele simplesmente em muitos nem existiu. Como aceitar que a casa de onde deveria fluir o amor, simplesmente o retem? Onde está Cristo em nós? É fácil falar que somos a Luz do Mundo, mas o difícil é refletirmos essa luz. Jesus sempre foi de encontro aqueles que estavam na margem da sociedade. Loucos, prostitutas, mendigos, mas nós não queremos correr esse risco. Estamos confortáveis demais, recebendo nas igrejas, mas ocupados demais para oferecer. Mas a Bíblia é pontual em dizer: Aquele que não ama o irmão, não ama a Deus. E Jesus diz que aquele que não vai de encontro aos pequeninos que estão em necessidade, não o conhecem. Infelizmente, é triste dizer, mas estamos longe de Deus.


 Que o Senhor tenha misericórdia de Nós e que não sejamos apenas os que dizem SENHOR, SENHOR

Douglas Lopes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DESIGN BY:


Blog desenvolvido por Isabela Cacique.