30 de janeiro de 2010

Ágape

“Se a graça é um oceano, estamos todos afundando...”
Kim Walker – How He Loves Us
 Começo esse Post, com essa frase, de uma música que acabei de ouvir, e pensei em fazer uma reflexão. Sem nada planejado ou pensado. Simplesmente sentar e escrever, sobre o amor de Deus, a sua dimensão, sobre o que isso significa.
Infelizmente não podemos entender esse amor, se entendêssemos talvez tudo seria mais fácil. A razão parece facilitar as coisas para nós. Entendemos o amor de nossos pais, que não nos jogam fora após um erro, mas com amor nos corrigem, até que acertemos, e não entendemos o amor de Deus, que mesmo muito antes de nossos pais sonharem conosco, já sonhava com nossas vidas. Se nossos pais não desistem de nós tampouco Deus irá. Mas, muito mais que nossos pais, Deus nos ama. Mesmo que sejamos considerados seus inimigos, ingratos, que envergonham seu nome, que o negam perante os homens, que caem nos mesmos erros e sucumbem aos prazeres dessa terra, que vivem como se o hoje fosse tudo, que se esquecem de que aquele que tem a esperança nessa terra são os mais miseráveis dos homens, que se esquecem que devemos olhar pro alto, que se esquecem que santidade agrada o coração de Deus, que tentam agradar o coração com uma religião vazia, que não se renunciam por Deus, ele ama Mesmo assim ele nos ama.Ele nos quer. Ele simplesmente...esquece! Ele nos cura, ele sara nosso coração, ele nos faz andar no caminho certo, que apesar de apertado, é aquele que nos conduz a ele. Ele nos amou de tal maneira que enviou seu filho para morrer por cada um de nós e hoje pudéssemos nos aproximar dele.
Por que não se render a esse amor? Por que não renunciar a tudo por Cristo? Não por um ministério, ou por alguma igreja, mas por Ele, e para realizar a Sua vontade. Para que mais eu poderia viver, se não para ele. Para quem irei se só Jesus possui as palavras de vida eterna. Talvez não entenda o quanto ele me ama...mas eu sei que quero sentir esse amor!
Seja tocado pelo amor de Deus, porque afinal, depois de sermos tocados pelo seu amor, nunca mais seremos os mesmos.
Na Graça e na Paz de Cristo
Douglas Lopes

27 de janeiro de 2010

Vale a pena Ler...

Fala aí Galera do Parecido =)
Se liga só.. eu tava dando umas voltas pela internet, em uns blogs evangélicos e achei um texto bem interessante..  E  é  bem grande também.. mas vale a pena ler cada caracter, creiia !  
 

 “Estou Cansado!” Ricardo Gondim :
Cansei! Entendo que o mundo evangélico não admite que um pastor confesse o seu cansaço. Conheço as várias passagens da Bíblia que prometem restaurar os trôpegos. Compreendo que o profeta Isaías ensina que Deus restaura as forças do que não tem nenhum vigor. Também estou informado de que Jesus dá alívio para os cansados. Por isso, já me preparo para as censuras dos que se escandalizarem com a minha confissão e me considerarem um derrotista. Contudo, não consigo dissimular: eu me acho exausto.
Não, não me afadiguei com Deus ou com minha vocação. Continuo entusiasmado pelo que faço; amo o meu Deus, bem como minha família e amigos. Permaneço esperançoso. Minha fadiga nasce de outras fontes.
Canso com o discurso repetitivo e absurdo dos que mercadejam a Palavra de Deus. Já não agüento mais que se usem versículos tirados do Antigo Testamento e que se aplicavam a Israel para vender ilusões aos que lotam as igrejas em busca de alívio. Essa possibilidade mágica de reverter uma realidade cruel me deixa arrasado porque sei que é uma propaganda enganosa. Cansei com os programas de rádio em que os pastores não anunciam mais os conteúdos do evangelho; gastam o tempo alardeando as virtudes de suas próprias instituições. Causa tédio tomar conhecimento das infinitas campanhas e correntes de oração; todas visando exclusivamente encher os seus templos. Considero os amuletos evangélicos horríveis. Cansei de ter de explicar que há uma diferença brutal entre a fé bíblica e as crendices supersticiosas. Canso com a leitura simplista que algumas correntes evangélicas fazem da realidade. Sinto-me triste quando percebo que a injustiça social é vista como uma conspiração satânica, e não como fruto de uma construção social perversa. Não consideram os séculos de preconceitos nem que existe uma economia perversa privilegiando as elites há séculos. Não agüento mais cultos de amarrar demônios ou de desfazer as maldições que pairam sobre o Brasil e o mundo. Canso com a repetição enfadonha das teologias sem criatividade nem riqueza poética. Sinto pena dos teólogos que se contentam em reproduzir o que outros escreveram há séculos. Presos às molduras de suas escolas teológicas, não conseguem admitir que haja outros ângulos de leitura das Escrituras. Convivem com uma teologia pronta. Não enxergam sua pobreza porque acreditam que basta aprofundarem um conhecimento “científico” da Bíblia e desvendarão os mistérios de Deus. A aridez fundamentalista exaure as minhas forças.
Canso com os estereótipos pentecostais. Como é doloroso observá-los: sem uma visitação nova do Espírito Santo, buscam criar ambientes espirituais com gritos e manifestações emocionais. Não há nada mais desolador que um culto pentecostal com uma coreografia preservada, mas sem vitalidade espiritual. Cansei,inclusive, de ouvir piadas contadas pelos próprios pentecostais sobre os dons espirituais.
Cansei de ouvir relatos sobre evangelistas estrangeiros que vêm ao Brasil para soprar sobre as multidões. Fico abatido com eles porque sei que provocam que as pessoas “caiam sob o poder de Deus” para tirar fotografias ou gravar os acontecimentos e depois levantar fortunas em seus países de origem.
Canso com as perguntas que me fazem sobre a conduta cristã e o legalismo. Recebo todos os dias várias mensagens eletrônicas de gente me perguntando se pode beber vinho, usar “piercing”, fazer tatuagem etc., etc. A lista é enorme e parece inexaurível. Canso com essa mentalidade pequena, que não sai das questiúnculas, que não concebe um exercício religioso mais nobre; que não pensa em grandes temas. Canso com gente que precisa de cabrestos, que não sabe ser livre e não consegue caminhar com princípios. Acho intolerável conviver com aqueles que se acomodam com uma existência sob o domínio da lei e não do amor.
Canso com os livros evangélicos traduzidos para o português. Não tanto pelas traduções mal feitas, tampouco pelos exemplos tirados do golfe ou do basebol, que nada têm a ver com a nossa realidade. Canso com os pacotes prontos e com o pragmatismo. Já não agüento mais livros com dez leis ou vinte e um passos para qualquer coisa. Não consigo entender como uma igreja tão vibrante como a brasileira precisa copiar os exemplos lá do norte, onde a abundância é tanta que os profetas denunciam o pecado da complacência entre os crentes. Cansei de ter de opinar se concordo ou não com um novo modelo de crescimento de igreja copiado e que vem sendo adotado no Brasil.
Canso com a falta de beleza artística dos evangélicos. Há pouco compareci a um show de música evangélica só para sair arrasado. A musicalidade era medíocre, a poesia sofrível e, pior, percebia-se o interesse comercial por trás do evento. Quão diferente do dia em que me sentei na Sala São Paulo para ouvir a música que Johann Sebastian Bach (1685-1750) compôs sobre os últimos capítulos do Evangelho de São João. Sob a batuta do maestro, subimos o Gólgota. A sala se encheu de um encanto mágico já nos primeiros acordes; fechei os olhos e me senti em um templo. O maestro era um sacerdote e nós, a platéia, uma assembléia de adoradores. Não consegui conter minhas lágrimas nos movimentos dos violinos, dos oboés e das trompas. Aquela beleza não era deste mundo. Envoltos em mistério, transcendíamos a mecânica da vida e nos transportávamos para onde Deus habita. Minhas lágrimas naquele momento também vinham com pesar pelo distanciamento estético da atual cultura evangélica, contente com tão pouca beleza.
Canso de explicar que nem todos os pastores são gananciosos e que as igrejas não existem para enriquecer sua liderança. Cansei de ter de dar satisfações todas as vezes que faço qualquer negócio em nome da igreja. Tenho de provar que nossa igreja não tem título protestado em cartório, que não é rica, e que vivemos com um orçamento apertado. Não há nada mais desgastante do que ser obrigado a explanar para parentes ou amigos não evangélicos que aquele último escândalo do jornal não representa a grande maioria dos pastores que vivem dignamente.
Canso com as vaidades religiosas. É fatigante observar os líderes que adoram cargos, posições e títulos. Desdenho os conchavos políticos que possibilitam eleições para os altos escalões denominacionais. Cansei com as vaidades acadêmicas e com os mestrados e doutorados que apenas enriquecem os currículos e geram uma soberba tola. Não suporto ouvir que mais um se auto-intitulou apóstolo.
Sei que estou cansado, entretanto, não permitirei que o meu cansaço me torne um cínico. Decidi lutar para não atrofiar o meu coração. Por isso, opto por não participar de uma máquina religiosa que fabrica ícones. Não brigarei pelos primeiros lugares nas festas solenes patrocinadas por gente importante. Jamais oferecerei meu nome para compor a lista dos preletores de qualquer conferência. Abro mão de querer adornar meu nome com títulos de qualquer espécie. Não desejo ganhar aplausos de auditórios famosos.
Buscarei o convívio dos pequenos grupos, priorizarei fazer minhas refeições com os amigos mais queridos. Meu refúgio será ao lado de pessoas simples, pois quero aprender a valorizar os momentos despretensiosos da vida. Lerei mais poesia para entender a alma humana, mais romances para continuar sonhando e muita boa música para tornar a vida mais bonita. Desejo meditar outras vezes diante do pôr-do-sol para, em silêncio, agradecer a Deus por sua fidelidade. Quero voltar a orar no secreto do meu quarto e a ler as Escrituras como uma carta de amor de meu Pai.
Pode ser que outros estejam tão cansados quanto eu. Se é o seu caso, convido-o então a mudar a sua agenda; romper com as estruturas religiosas que sugam suas energias; E voltar ao primeiro amor. Jesus afirmou que não adianta ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ainda há tempo de salvar a nossa."
Graça e Paz !
Stefany Cristina

19 de janeiro de 2010

Como cães e gatos

Uma vez eu ouvi alguém fazendo uma comparação e eu gostaria de compartilhar com vocês. É algo que também e aplica na nossa relação com Deus. Você é um cão ou um gato?
O gato é um animal astuto, interesseiro e malandro. Quando ele te vê, corre. Gosta de serindependente. Mas quando está com fome ou sede, vem correndo se arrastar na sua perna, todo manhoso e carinhoso. Existem pessoas que agem desta maneira com Deus.
Quando está tudo bem até esquecem de que Ele existe. Mas é só aparecer uma dificuldade e lá estão elas, crentes fieis, em todos os cultos, orando o tempo todo, pedindo por aquilo que precisam. Hipócritas! Deus nos diz em Isaías 58.3-9 que não é desta forma que o Senhor se atenta às nossas súplicas e nos ouve. Ele não determina que para que nossos desejos sejam ouvidos nós tenhamos que nos desesperar e tentar fazer de tudo que O agrade. Mais uma vez a Bíblia nos diz: "E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, quando ouvires a voz do SENHOR teu Deus". As bençãos de Deus são consequência para aquele que VIVE com Deus. Não é um momento em oração ou jejum que vai fazer com que você receba o que quer. É uma vida em amor com o Pai. Ele sabe tudo que Seus filhos amados necessitam.
Por outro lado, o cão é brincalhão, totalmente entregue ao dono, pula de alegria quando vê seu dono, e não pede nada em troca do seu amor. Será que não conseguimos ter por Deus a mesma entrega que um cão tem por seu dono? Não é estranho comparar o amor que nós temos por Deus com o amor de um cão? Deveria ser... mas nós não fazemos por onde. O amor de Deus por nós é infinito. Sabemos disso! (João 3.16) E por quê mesmo assim insistimos em lembrar dEle apenas quando precisamos?
Nós vivemos debaixo da graça de Deus, e impressionantemente Ele nos perdoa. Sempre que nos arrependemos Ele nos perdoa. Como é possível? Não sei explicar... só sei que Ele é Deus. O meu e o seu Deus. E nós devemos amá-O tanto quanto. Filipenses 2.13 nos diz: "Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." Logo, se você quer amá-lo mais, peça a Ele para te ajudar, e Ele fará. Deus nos ama tanto que nos ajuda a amá-lo também. Chega a ser irônico.
Bem, não há muito o que dizer do amor do nosso Deus, mas não sejamos como gatos, para só procurar por Ele quando for acharmos necessário. Seja um cão que ama incondicionalmente seu dono!
"Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo."  (Apocalipse 3 : 20)
Beijos para todos.
Jullie Nogueira

16 de janeiro de 2010

Ao que tudo se resume

Se você pudesse resumir o evangelho a uma palavra qual seria ela? Não é uma pergunta tão difícil assim... AMOR é o princípio base para tudo. Afinal de contas, “Deus AMOU o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna” (João 3.16). Se não fosse por esse amor, onde estaria todo o resto? O cumprimento da lei, a obediência àquele que nos amou primeiro, se resumem a dois mandamentos: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma e de todo o teu pensamento .”(Mateus 22.37) e “Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”(Mateus 22.39).
Parece tão simples né?... Amor! Uma palavra tão utilizada. Mas Deus não quer o amor que nos damos pra um amigo nosso aqui, nem pra um(a) namorado(a),ou para nossos pais, mas ele quer algo acima disso. Quer que coloquemos ele acima de todas essas coisas. O ponto de destaque seja dele porque ele é o mais importante. Quer que nossos pensamentos estejam em Agradá-lo(De todo o teu pensamento) , quer que nosso coração seja só dele, e tudo que for entrar em nosso coração entre por permissão dele(De todo o teu coração), e quer que o nosso ser, tudo que somos seja para ele(De toda a sua alma). Difícil AMAR a Deus de verdade, mas necessário. Amar a Deus nos faz buscar seus interesses, além dos nossos. Alcançamos a Santidade por vivermos para amar a Deus. Alcançamos a sua presença (João 14.21).
E o amor ao irmão?
Se não amo meu irmão, como amarei a Deus( João 4.20).
Não temos nada sem o amor. Não temos um ministério, ou uma igreja, ou um chamado bonito sem o amor, porque afinal de contas, se você não ama o seu irmão como exercerá algum ministério. Você não vai pregar pra Deus, ou ministrar o louvor pra Deus, ou exortar Deus, mas você fará tudo isso para as pessoas. Se te falta amor pelas pessoas você nunca vai exercer esses ministérios com plena convicção, ou pleno entendimento. Você será mais um entre mais de 2 bilhões de Cristãos, que deveriam ser luz, que deveriam no cumprimento do seu chamado realmente fazer a diferença, que deveriam amar de verdade as pessoas, e não apenas por palavras.(1 João 3.18)
Siga o amor com zelo...Aprenda a amar ao Senhor e ele se manifestará a você. Aprenda a amar de verdade seu irmão, e encontrará o motivo real da sua existência, que é, entregar a vida aos nossos irmãos assim como Jesus entregou por nós, e nisso conhecemos o verdadeiro amor.
Na Paz do Senhor
Douglas Lopes

4 de janeiro de 2010

Tentações

Pessoal, aqui vai um post que foi escrito por uma amiga de ministério nossa, a Larissa! Leiam e sejam abençoados assim como nós fomos ao ler.
Parecidos com Jesus
Pra você, o que é tentação? Bom, poderíamos definir tentação como todos os desejos carnais que não são da Vontade de Deus, e que o diabo planta em nossos corações com o intuito de nos afastar da gloriosa Presença de Deus, e tendo como objetivo final a morte espiritual do cristão. Depois de meditar na tentação de Jesus no deserto, percebi que o mesmo pode acontecer conosco; o diabo tentou Jesus, e certamente não nos poupará.
Jesus estava há 40 dias e 40 noites sem comer e, por isso, estava muito frágil e sensível. Da mesma maneira acontece conosco. O diabo espera o momento em que nós estamos mais fragilizados e sensíveis, ou seja, quando a nossa conexão com o Pai está “baixa”, e é nesse momento que ele começa a agir em nossas vidas.
Ninguém está livre de ser tentado, pois a nossa natureza é pecaminosa, mas a partir do momento em que passamos a viver uma vida santificada com Cristo, o nosso velho homem morre e passamos a ser controlados pela vontade dEle (Romanos 6:6) . A tentação não é pecado, mas se cedermos a ela estaremos pecando; porém não somos tentados além do nosso limite: “As tentações que vocês têm de enfrentar são as mesmas que os outros enfrentam; mas Deus cumpre a sua promessa e não deixará que vocês sofram tentações que vocês não têm forças para suportar.
Quando uma tentação vier, Deus dará forças a vocês para suportá-la, e assim vocês poderão sair dela”. (1 Coríntios 10:13) Todos nós estamos sujeitos à tentação, mas as misericórdias e a graça do Senhor são infinitas (Romanos 5:20). O diabo não pode nos obrigar a cair em tentação, peça discernimento a Deus: “O pecado não dominará vocês, pois vocês não são mais controlados pela lei, mas pela graça de Deus” . (Romanos 6:14) Muitas vezes nós acabamos tristes, decepcionados e “quebramos a cara” por não esperarmos o tempo de Deus e, assim, acabamos caindo na tentação que o inimigo põe diante dos nossos olhos. Seja qual for o desejo do seu coração, coloque tudo nas Mãos de Deus e espere o Tempo Dele: “Tudo neste mundo tem o seu tempo; cada coisa tem a sua ocasião” . (Eclesiastes 3:1)
Não se engane... As soluções do diabo são temporárias e ilusórias; Ele joga sujo e pesado, querendo nos levar à morte espiritual: “Estejam alertas e fiquem vigiando porque o inimigo de vocês, o Diabo, anda por aí como um leão que ruge procurando alguém para devorar” . (1 Pedro 5:8) Depois de ler isso tudo você pode estar se perguntando: “Como vou então vencer as tentações?” Aqui vão algumas dicas:
  •  Se esvazie de você mesmo e se encha com o Espírito Santo. (Tiago 4:7-8) 
  • Deixe o Espírito Santo dirigir sua vida. (1 Coríntios 3:16)
  • Leia a Palavra e ore. (Salmos 119:11) 
  • Obedeça a Deus. (Provérbios 1:33)
Somente o Senhor pode nos deixar plenamente satisfeitos; não deixe que o Inimigo controle a sua vida e “Tornem-se cada vez mais fortes, vivendo unidos com o Senhor e recebendo a força do seu grande poder. Vistam-se com toda a armadura que Deus dá a vocês, pra ficarem firmes contra as armadilhas do Diabo” . (Efésios 6:10-11)
Graça e Paz pessoal, Larissa Loayse =D
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

DESIGN BY:


Blog desenvolvido por Isabela Cacique.